Artigo,  Notícias

Abacate – vilão nunca mais!

Hoje vamos falar sobre um produto que tem conquistado a indústria alimentícia atualmente: o óleo de abacate, ou, usando o termo técnico correto, azeite de abacate.

Este produto é composto por substâncias bioativas capazes de prevenir e controlar o aumento do colesterol. Para se chegar a essa conclusão, foi realizado um estudo pelo Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), na USP de Piracicaba – SP. A pesquisa foi publicada na Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, e avaliou o potencial do óleo para o consumo humano e os processos de extração e refino da substância para utilização na indústria alimentícia.

Para entendermos melhor como funciona a produção e a utilidade do azeite de abacate, conversamos com o Carlos Gonçalves, Engenheiro Agrônomo formado pela ESALQ – USP. Carlos tem 49 anos, é natural de Campinas- SP, mas atualmente mora em São Sebastião do Paraíso com a família. Foi também nesta cidade que Carlos Gonçalves decidiu montar uma fábrica para extração do azeite de abacate, inicialmente com o objetivo de otimizar a produção. Mas a ideia deu tão certo, que Carlos já quer ir além do mercado interno, “temos ambição de exportar o azeite do Breda (espécie de abacate usada na obtenção do produto)”, diz ele.

Carlos nos explica que os óleos são provenientes das sementes como soja, milho e canola. Já o azeite, vem da polpa dos alimentos, como oliva e abacate. A extração do azeite de abacate é bem complexa, a produção deve respeitar diversos detalhes específicos segundo relata Carlos, “os frutos devem ser bem colhidos e selecionados, e o processo de fabricação respeitar uma série de condições para obtenção do melhor azeite possível”. Além da fábrica chamada Flor do Abacate, que produz o azeite Paraíso Verde, Carlos ainda possui uma linha de cosméticos, chamada Avolovers, com produtos feitos também à base de abacate. “Como ainda é um mercado novo, somos uma das primeiras fábricas no Brasil. O nosso objetivo é ter um produto de excelência e que seja reconhecido pela qualidade”, afirma Carlos Gonçalves.

O abacate atualmente se tornou o fruto da moda, pois deixou de ser o vilão calórico e passou a ser bem visto por pessoas atentas a saúde, esportistas, nutricionistas, dentre outros profissionais. Segundo Carlos, a demanda por abacate é crescente e pelo azeite tende a ser também. “Existe um filão de negócios com os subprodutos da fabricação de azeite de abacate, como o caroço e a polpa desengordurada. O caroço pode virar propriedades inseticidas, e pode combater insetos e formigas; a polpa desengordurada pode virar produtos como farinha pra alimentação animal. E vem por aí, guacamole industrializada, maionese de abacate, manteiga de abacate, plástico de caroço de abacate, etc. Inclusive estamos desenvolvendo um formicida natural (a partir destes subprodutos)”, explica Carlos.

O azeite de abacate tem varias aplicações. Pode ser usado para temperar salada, estourar pipoca, refogar um arroz ou fritar um bife por exemplo. Podem-se fazer ainda sabonetes e defensivos agrícolas. Assim ele se torna um produto de múltiplo uso, auxiliando as pessoas a levarem uma vida mais saudável. E é justamente nesta área que está o principal benefício do abacate.  Em uma tese de doutorado da nutricionista Cibele Furlan, realizado pela Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Unicamp e concluído na Universidade de Lund, na Suécia, é comprovado que o azeite extraído do abacate, é capaz de diminuir rapidamente o colesterol, a glicemia e o triglicérides.

“Pela primeira vez mostramos que a substituição da manteiga pelo azeite do avocado Hass em uma refeição hipercalórica e hiperlipídica resultou em efeito cardioprotetor, com benefícios ainda na redução da produção de insulina e redução de glicemia. Estudos anteriores mostravam benefícios a médio ou longo prazo com o fruto do avocado ou com outros azeites como o de oliva, que já é muito conhecido devido a dieta mediterrânea, mas nada que comparasse o efeito imediatamente após o consumo. Acompanhamos os marcadores biológicos a partir de 30 minutos após o inicio da refeição e até 4h depois”, explica Cibele.

Depois dessa verdadeira aula sobre Abacate, não é possível que alguém ainda tenha dúvidas que essa fruta é só saúde, além de seu sabor delicioso. Nós do Mais Abacate realmente a amamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *